20/04/2010

Mulheres causam terremoto!

honor-killing_ObGaB_3868

Um importante líder religioso do Irã foi responsável por uma declaração no mínimo curiosa. Hojatoleslam Kazem Sedighi afirmou que mulheres que usam roupas reveladoras e agem de forma promíscua são culpadas por terremotos!
"Muitas mulheres que não se vestem de forma modesta levam os homens jovens ao mau caminho, corrompem a sua castidade e espalham o adultério pela sociedade. Isso, conseqüentemente, faz aumentar o número de terremotos", afirmou Sedighi.
Por causa de sua posição geográfica, o Irã é um dos países mais sensíveis a abalos sísmicos.

Para Sedighi, a única forma de evitar mais tremores no país é:

"O que podemos fazer para evitar que fiquemos enterrados sob escombros? Não há outra solução senão tomar refúgio na religião e adaptar nossas vidas ao código de moralidade do Islã."

De acordo com sismologistas, Teerã, a capital do país, deve ser atingida em um futuro próximo por um forte terremoto. Recentemente o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, previu que Teerã será arrasada por um grande abalo e pediu que as 12 milhões de pessoas que vivem na cidade considerassem partir para um lugar mais seguro.

Qual o terremoto que esse fundamentalista insano se refere?

"Terremoto" das mulheres tomarem o poder e garantirem o seu direito sobre o seu corpo e acabar com uma prática muito comum, principalmente em regiões remotas do Irã: apedrejamento e estupro coletivo (com direito a jogar a vítima nua no meio do povo e quem quiser estuprar a coitada jogada, fique a vontade) como forma de punição a crimes, principalmente, os "de honra" como falar o que pensa, perder a virgindade antes do casamento ou se meter em política?
Não, o que eles temem é o "terremoto" das mulheres saírem da sua ignorância e lutarem por seus direitos sem nada a perder e ganharem!

Mulheres iranianas são condenadas injustamente por adultério, amarradas, amordaçadas e enterradas na terra até a cintura, para então serem mortas a pedradas numa seqüência sangrenta e chocante.

A prática da morte por apedrejamento ainda ocorre em países como Irã, Afeganistão, Paquistão e Somália.

Os países muçulmanos são regidos por leis rigorosas e controversas, legislações inspiradas na interpretação do Alcorão, como a Sharia, conjunto de leis e regulamentos que devem ser obedecidos à risca pelos fiéis. Nesse código são previstas punições severas que variam de prisão até a morte por apedrejamento (lapidação).

Em 2002, Safiya Huseini, foi condenada à morte por apedrejamento. Seu crime: ela foi estuprada e engravidou!

Em 2007, uma professora inglesa do ensino fundamental de uma escola do Sudão foi condenada a 15 dias de prisão por permitir que seus alunos de 6 e 7 anos chamassem um ursinho de pelúcia de Maomé. Seu crime: blasfêmia contra o profeta. Houve manifestações em vários países islâmicos para que a professora fosse condenada à morte.

Me pergunto por que ainda usam a religião para seus objetivos próprios em vários países?

Não tenho nem o que comentar.

Fonte: O Globo

2 comentários:

blogdaleilahh disse...

Perdoe-me Deus.
É que me lembrei de Paulo e Silas na prisão. Não tinha mulher por perto né?
rsrsrsr
Hum...as mulheres cobertíssimas e eles são desse jeito...imagino se não fosse.
Misericórdia.

Beijossssssssss

Anônimo disse...

Just want to say what a great blog you got here!
I've been around for quite a lot of time, but finally decided to show my appreciation of your work!

Thumbs up, and keep it going!

Cheers
Christian, iwspo.net